terça-feira, 31 de maio de 2011

Emissões de gases com efeito de estufa caíram 7,1 por cento na UE em 2009

Para balançar a má noticia do post anterior, hoje a Ecosfera publicou a seguinte noticia: 
 As emissões de gases com efeito de estufa (GEE) baixaram 7,1 por cento nos 27 Estados membros da União Europeia em 2009 em relação ao ano anterior, revelou hoje a Agência Europeia de Ambiente.
De 2008 a 2009, a União Europeia (UE) a 27 emitiu menos 354 milhões de toneladas, segundo o relatório da agência com os dados mais recentes sobre o inventário de emissões poluentes.
Durante esse período, Portugal registou uma descida de 4,3 por cento, traduzida em menos 3,4 milhões de toneladas. Na UE a 15, Itália e Espanha foram os países que registaram uma redução maior nas emissões de GEE, 9,3 e 9,2 por cento, respectivamente. Por seu lado, na UE a 27, essa posição vai para a Estónia, com uma diminuição de 16,1 por cento.
As emissões de GEE dos sectores da aviação e navegação caíram 8,6 por cento entre 2008 e 2009. Estes dois sectores representam, actualmente, 6,3 por cento das emissões totais da UE a 27.

Recessão e renováveis

A agência europeia explica estes dados com a “recessão económica e o aumento da energia renovável no consumo final de energia”.
A recessão, que afectou todos os sectores económicos da UE, “levou a uma diminuição do consumo de energia”, segundo o relatório. “O consumo de combustíveis fósseis caiu, em comparação a 2008, principalmente o carvão”.
“Apesar de muito da redução dos gases com efeito de estufa se dever à recessão, estamos a começar a ver resultados das políticas da UE e dos Estados membros no sector das renováveis”, comentou Jacqueline McGlade, directora-executiva da Agência Europeia de Ambiente. O consumo de renováveis aumentou 5,8 por cento na UE a 27.Alargando o período de análise para os últimos 20 anos, a agência constata uma redução das emissões totais de GEE na UE a 27 na ordem dos 17,4 por cento.

1 comentário:

voz a 0 db disse...

De pouco interessa! A atmosfera é global logo o que interessa é o global e não o local.